Seja Bem-Vindo!

 

 

mensagem

 

A VELHA CORDIALIDADE SERÁ QUE AINDA FUNCIONA?

Por: Jaime Folle

 

          A tecnologia, parece ter condenado ao esquecimento, a velha cordialidade que os antigos tinham como hábito de tratar as pessoas, e isso, parece-nos claro que a antiga forma de cordialidade já não serve mais como modelo na atualidade. Hoje, os modelos querem muito mais um processo de comunicação a distância que um simples e gostoso abraço, além de receber com frieza as pessoas que nos visitam.

         Os tempos mudaram e o mundo evoluiu. Não somente a tecnologia e a automação nos surpreendeu com novas descobertas, mas também o ser humano ascendeu, ficando mais frio, menos comunicativo e isso o leva a distanciar-se cada vez mais do próprio ser humano que, num passado não muito distante, não se imaginava que fossem acontecer assim tão rápido.

          A tecnologia também nos permite encontrar os amigos através da rede, assim como no passado, sabendo, por antecipação, seus gostos e desejos, podendo, um cliente, ser atendido ou receber um folder de propaganda de forma dinâmica e personalizada em questão de alguns segundos.

         Um exemplo claro disso é de alguém que se hospedou em um hotel e solicitou um quarto no qual tivesse uma cama com colchão ortopédico. O hotel atendeu seu pedido. Passados três anos, este cliente retornou ao hotel e, ao chegar na recepção a atendente, perguntou se ele preferia novamente um colchão ortopédico.

       Vejamos que, se compararmos os antigos armazéns com os ultramodernos magazines de hoje, permanece a velha máxima de que a tecnologia pode ajudar muito porém o cliente precisa ser tratado com atenção, alegria e principalmente, ser valorizado como ser humano com calor humano. Porém esta máxima só entendem os que já passaram dos quarenta anos, porque as gerações bem mais novas pouco se importam com isso.

     Diante de um bom atendimento, é importante que o atendente/vendedor procure estudar um pouco mais sobre comportamento humano e os diferentes formas de reações que as pessoas, de um modo geral, têm. Cabe ao atendente/vendedor um alto grau de discernimento e atenção para poder, em curto espaço de tempo, ganhar o cliente através de técnicas simples, que muitas vezes fogem de qualquer pesquisa ou estudo científico que é saber diferenciar clientes das diferentes gerações.

Até a próxima.